[RESENHA] O Segredo de Brokeback Mountain - Annie Proulx


Jack Twist e Ennis del Mar se conhecem ao pastorear ovelhas na fictícia montanha Brokeback, no estado americano Wyoming, em 1963. Os dois têm menos de 20 anos. Numa noite clareada por um fogo improvisado, ao som de uma gaita tosca, bebem, falam de rodeios e revelam um ao outro aspectos pesados de suas origens. A certa altura, a cumplicidade estabelecida quebra as ideias feitas de virilidade e dá lugar a uma relação homossexual que, de início, dura um verão.

Assombrados por histórias de discriminação no Oeste americano, herdeiros de toda uma tradição caubói, eles se evitam, casam e têm filhos. O reencontro, entretanto, acontece. E se repete. O conto atravessa duas décadas da hesitante relação entre dois homens criados em regiões opostas do estado, unidos por desesperanças e solidão. Ennis, abandonado pelos pais, leva uma vida carimbada pela convenção: casamento, filhos, empregos em fazendas de gado. Jack, filho de um brutal vaqueiro da região, casa-se com a rica herdeira de uma empresa de equipamentos agrícolas.
A história é narrada por uma escritora que alcança as mais delicadas notas do universo masculino ao descrever uma afeição marcada por sigilos, amores e brutalidades. O tom enxuto do conto foi magistralmente levado para o cinema, em filme homônimo dirigido por Ang Lee, indicado para oito Oscar, dos quais ganhou três: direção, roteiro adaptado e trilha sonora original. O longa-metragem levou ainda o Leão de Ouro de melhor filme no Festival Internacional de Cinema de Veneza.

“Ennis, seu filho de uma vadia. Queria saber como te esquecer.”

Sabe aquela história que lhe causa algo que você não conhece, seguido de profundos arrepios? O Segredo de Brokeback Mountain é mais do que um simples Conto de sucesso editado numa antologia, que virou um dos maiores fenômenos mundiais. A adaptação cinematográfica não deixa a desejar em nenhum ponto, apontado, por muitos – o que na minha opinião não é verdade – como um filme melhor que o conto. Ele foi editado numa edição em capa dura pela Editora Intrínseca como eu sou pobre, comprei o e-book.

Tudo se inicia com o trabalho. Trabalho, Vitor? Sim gente, trabalho. Afinal, todos nós precisamos trabalhar. Ennis e Jack tem menos de 20 anos, são bastante jovens e o destino os une numa história romântica, dramática e polêmica. Tanto é que foi indicado ao Oscar em diversas categorias.

Imaginem uma história assim em 1963. Onde todos são assombrados pela discriminação, seja em uma história de amor entre pessoas do mesmo sexo, ou até mesmo a condição social dada pela sociedade. Tudo muito complicado e diferente de hoje.

“Durante o dia Ennis olhava por sobre o vale e às vezes via Jack, um pontinho se movendo na campina alta como um inseto que se move numa toalha de mesa; Jack, em seu acampamento escuro, via a fogueira noturna de Ennis, uma faísca vermelha na grande massa negra da montanha.”

Ambos vão trabalhar e evitam o relacionamento, afinal, perderiam tudo: família, amigos, emprego e seriam discriminados, como citei. Ambos se casam, tem filhos. E tudo parecer ter este triste fim.

“Ennis, cavalgando contra o vento ao voltar para as ovelhas na luz bêbada e traiçoeira, pensou que nunca se sentira melhor, como se pudesse tirar o branco da Lua.”

Mas o destino é sábio e sabe o que faz. É como se sempre eles precisassem se encontrar. E esses encontros  não frequentes, mostram que realmente o que um sente pelo outro é verdadeiro.

“Quando a gente se separou depois de receber a grana eu tive uma dor no intestino tão forte que parei e tentei vomitar, pensei que tinha comido alguma coisa estragada naquele lugar em Dubois. Levei um ano pra perceber que era porque eu não devia ter deixado você sair de perto de mim. Mas já era bem, bem tarde.”

É um conto de pouco mais de 70 páginas, se você quiser ler, basta sentar e aproveitar uma boa leitura, sem discriminação ou desprezo em relação à temática. Eu fiquei com o pé atrás quando, um professor passou o filme em sala de aula, em 2011. Todos ficaram chocados com a história. Porém deveriam saber que todo mundo pensa de forma diferente, e o que pode ser bom pra mim, pode não ser pra você. E o final do conto surpreende de uma forma, que as pequenas coisas abordadas na trama são colocadas em primeiro plano.

Os acontecimentos são os mesmos, mas a história em si se torna muito mais interessante quando a narradora fica próxima do leitor. Uma história em uma época diferente, que nos faz pensar em com a vida é bela em alguns ângulos, e que, nossas decisões são influenciadas pelo "todo que vive ao nosso redor".

Então, caro leitor, convido-o a conhecer esta intrigante história de amor, diferente – ou não – de tudo o que você já leu. =)

“Uma coisa nunca mudou: a brilhante energia dos encontros não-frequentes era escurecida pelo sentimento de tempo passando, nunca havia tempo o bastante, nunca.”


Título: O Segredo de Brokeback Mountain 
Autoras: Annie Proulx
Editora: Intrínseca
Páginas: 72




4 comentários

  1. Pela sinopse eu não fiquei muito interessada em ler não, mas depois da sua resenha mudei de ideia. Se tiver oportunidade vou dar uma chance pro livro. Parece ser mesmo bem diferente de tudo que já li.
    Beijos :)

    ResponderExcluir
  2. Dê uma oportunidade ao livro, ele é bem legal. =D

    ResponderExcluir
  3. Ai um livro que eu não tenho vontade de ler. Sua resenha Vitor, está otima, porém a vontade de ler ainda consegue ser nula, se fosse outro livro, com certeza séria lista de compras.


    bjs

    ResponderExcluir
  4. Somos todos seres humanos e nos apaixonamos por outros seres humanos, não importa o sexo. Bela resenha, apesar de nunca ter visto este livro, dei uma pesquisada no Skoob e realmente poucos pessoas leram,mas achei bem diferente e gostei bastante!!

    ResponderExcluir

Sua opinião é muito importante para nós! Deixe seu comentário e se houver necessidade responderemos pelo seu e-mail ou aqui mesmo. Obrigada pela visita.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...