[RESENHA] O Inferno de Gabriel - Sylvain Reynard



O Inferno De Gabriel


“Quando lhe disse que pretendia venerá-la com o meu corpo, estava falando sério. De todo meu coração. Nunca tomarei nada de você. Só lhe darei. Na minha cama ou fora dela.”


“Ela o consumia pouco a pouco e, quando abria um sorriso ou ria, Gabriel achava que iria pegar fogo.
“-Quero beijar você - sussurrou ela. Ele sorriu. - Também quero. Ela esperou. Mesmo assim, ele não se mexeu. - Julianne - chamou ele. Ela abriu os olhos. - Venha pegar o que quer.”





*A resenha contem um spoiler (nada muito sério, importante  para os que não curtem livros eróticos saberem, para não o rejeitarem sem ler antes.)

Gabriel Emerson é um homem estranho e solitário. Tendo origens traumáticas ele foi adotado por uma boa família, porém isso não tornou seu convívio com eles mais fácil. Um jovem revoltado, lindo e muito perturbado, tendo sua cota de problemas na vida, até que se tranquiliza como sendo professor universitário, ou melhor dizendo um especialista em Dante, super rigoroso e temido por seus alunos. Tudo no seu mundo é controlado, menos suas noites, onde ele se solta no seu pequeno mundo de prazer desconhecido por todos.


-“Estou me abrindo para você. Sou destrutivo. Emocionalmente instável. Tenho um péssimo gênio. Parte disso tem a ver com meu vício, parte tem a ver com o meu... passado. Será que eu estava tão errado ao tê-la em tão alta conta que minha única explicação para a sua existência fosse achar que você era o produto de uma mente desesperada ou o ápice da criação divina?”.


Nossa bela mocinha da vez é Julia Mitchell, uma bela donzela (no sentido real da palavra) jovem, com um triste passado. Essa parte é tradicional nos livros eróticos, a mocinha tem um trauma de infância, e geralmente o mocinho também. Apesar da aparência de ''mocinha frágil'' eu achei ela extremamente forte e decidida, não é apenas Gabriel que vai se surpreender com ela. 

Julia vai para universidade de Toronto fazer o seu mestrado em Dante, ela sabe que lá vai reencontrar uma pessoa muito importante de seu passado, uma pessoa que ela conheceu uma única vez e fez toda diferença na sua vida. Mas será que ele vai se lembrar dela?

Gabriel é totalmente desprezível com Julia no começo, a despreza por ser pobre, por não saber responder uma pergunta na sala e diversos outros motivos, ele não entende o porque de não conseguir tira-la de seus pensamentos, então assume a posição do desprezo.

Mas quem brica com fogo se queima... o que fazer quando ambos não conseguem ficar no mesmo lugar sem sentir as faíscas de desejo? O que fazer com o ciumes doentio que ele sente dela com seus colegas de turma? E o que fazer quando um professor e uma aluna sentem muito mais que amizade, em uma universidade onde essa relação pode acarretar em expulsão e demissão? 

-“Se você for esperar que sua cicatriz desapareça, Julianne, vai ficar esperando para sempre. Cicatrizes nunca desaparecem. (...). Feridas podem se fechar e talvez até sejamos capazes de nos esquecer delas com o tempo, mas as cicatrizes são para sempre. Nem mesmo Jesus perdeu as suas.”

Engana-se quem já foi logo julgando e dizendo que não gosta de romances eróticos, pois eu não considero esse o caso do livro. Ele é totalmente romântico, cheio de palavras sedutoras e me desculpem pelo spoiler sexo, não chega nem perto de ser tão descritiva e crua como nos romances eróticos. Perto de ''50 Tons'' ou ''Toda Sua'' por exemplo, essa parece a história da branca de neve. O sadomasoquismo que Gabriel curte  é leve, super leve, e convenhamos, o pobrezinho mau tem chance de se divertir no livro! kkk 
Não quero dizer que o livro seja ruim ou que não gostei, muito pelo contrário, eu amei. É uma história muito sedutora, cheia de conflitos e absolutamente romântica. 

O livro tem muitas cenas engraçadas, Gabriel tem um humor negro que eu adoro, as piadas e insultos que ele faz sobre as precárias condições de vida de Julia, apesar de nada educadas são hilariantes.  


UMA QUESTÃO PARA SE DEBATER...

Não entendo bem essa conversa de que para se gostar/praticar BDSM (Bondage, Disciplina, Dominação, Submissão, Sadismo e Masoquismo) você tenha de ser uma pessoa com traumas. Não que se diga isso de forma direta, mas em todos os livros do gênero que li, sempre os personagens principais são traumatizados. Passa a impressão de que essas pessoas tem problemas emocionais e até mentais. Que esse é o motivo das suas ''estranhas'' preferências entre quatro paredes. Isso não lhes parece meio preconceituoso?
Certa vez vi em um blog (do qual não me recordo agora o nome) um comentário de uma moça que se diz praticante do BDSM, dizendo achar muito bem detalhadas e belas as cenas de sexo descritas na trilogia Cinquenta Tons de Cinza. Mas que considera ofensivo a insinuação de que os praticantes são pessoas com algum tipo de trauma na vida. Esse comentário me fez refletir muito, por isso estou lendo muitos livros do gênero afim de tentar entender melhor e depois formar uma opinião e quem sabe fazer um post com ela. Mas até agora só encontrei personagens praticantes com traumas do passado, será que na vida real é assim também? Ou as pessoas sem traumas, que levam uma vida sem muitos altos e baixos, o mais comum possível, podem gostar desse estilo de vida?


''Primeiro livro de uma trilogia, O inferno de Gabriel explora com brilhantismo a sensualidade de uma paixão proibida. É a história envolvente de dois amantes lutando para superar seus infernos pessoais e enfim viver a redenção que só o verdadeiro amor torna possível.''



Título:O Inferno de Gabriel
Autor(a):Sylvain Reynard 
Editora: Arqueiro 
ISBN: 978-85-8041-123-6 
Páginas: 512
Skoob: Aqui



                                                                            Beijos
                                                                                           Nita

5 comentários

  1. Está na minha lista. Irei ler em breve.
    Também me soa preconceituoso esse pensamento de que só quem tem trauma pratica sadomasoquismo. Acho que não.


    Beijos,
    Carissa
    www.carissavieira.com

    ResponderExcluir
  2. Eu não entrei na onda dos livros eróticos, não li 50 tons e embora tenha Toda Sua ainda não li, mas pelos comentários que li sobre esses livros acho que essa caracterização dos personagens bastante preconceituosa, passa para uma pessoa menos informada a impressão de que apenas pessoas problemáticas ou traumatizadas se interessariam por essas práticas.

    ResponderExcluir
  3. O Inferno de Gabriel...
    A principio achei interessante...
    Mas fui percebendo que o livro quer imitar o 50 tons de cinzas e o romance é muiiiiiiittooooooo fraco e bobo. Pior imaginação de adolecente.
    A história de Dante e Beatriz é muito inteligente. Porem este livro não indico ninguem a ler. Resumindo: FRACO!

    ResponderExcluir
  4. Simplesmente perfeito! Dotado de uma escrita inteligente, objetiva e marcante, esse livro me fez repensar pequenos acontecimentos no cotidiano que devemos levar em conta, como por exemplo. Temos noção do que é certo e errado, e mesmo quando erramos e nos arrependemos, temos a mania de nos auto-julgarmos. Mas será que realmente vale a pena? Com um romance intenso, repleto de uma tensão sexual exuberante, O Inferno de Gabriel, não se parece nem de longe com 50 tons de cinza. Realmente, vale a pena ler, sem dúvidas! Super recomendo!

    ResponderExcluir

Sua opinião é muito importante para nós! Deixe seu comentário e se houver necessidade responderemos pelo seu e-mail ou aqui mesmo. Obrigada pela visita.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...