[Resenha] Ele está de volta - Timur Vermes


Autor: Timur Vermes | Editora: Intrínseca | Páginas: 304 | ISBN: 9788580575293 | Skoob | Comprar |

Berlim, 2011. Adolf Hitler acorda num terreno baldio. Vivo.

As coisas mudaram: não há mais Eva Braun, nem partido nazista, nem guerra. Hitler mal pode identificar sua amada pátria, infestada de imigrantes e governada por uma mulher. As pessoas, claro, o reconhecem — como um imitador talentoso que se recusa a sair do personagem. Até que o impensável acontece: o discurso de Hitler torna-se um viral, um campeão de audiência no YouTube, ele ganha o próprio programa de televisão e todos querem ouvi-lo. Tudo isso enquanto tenta convencer as pessoas de que sim, ele é realmente quem diz ser, e, sim, ele quer mesmo dizer o que está dizendo. Ele está de volta é uma sátira mordaz sobre a sociedade
contemporânea governada pela mídia. Uma história bizarramente inteligente, bizarramente engraçada e bizarramente plausível contada pela perspectiva de um personagem repulsivo, carismático e até mesmo ridículo, mas indiscutivelmente marcante. Skoob

Dias atrás recebi uma recomendação de leitura bacana em um dos grupos literários que participo e administro: Ele está de Volta - Timur Vermes. Aceitei de bom grado, afinal me interesso muito pelo tema. Quando comecei a leitura achei que o livro fosse uma crítica ao próprio Hitler, mas tive uma surpresa bem agradável, a crítica, na verdade, é contra a mídia e seu poder de convencer e vender qualquer coisa. E a intenção ficou bem nítida, afinal já sabemos quem era Hitler e o que ele fez por volta dos anos 40 e ninguém em sã consciência o colocaria de volta ao poder hoje, ou colocaria? Com a manipulação ferrenha da mídia tudo isso fica esquecido no passado.

A história começa com Hitler acordando em um terreno baldio, de uniforme nazista, em meio a sacos de lixo em Berlim. Completamente desnorteado e percebendo as mudanças gritantes da cidade, vai atrás de uma explicação. Então se depara com uma banca de revistas e descobre que o ano que se encontra é 2011.

Sua mentalidade continua a mesma de sessenta anos atrás e logo começa a traçar planos de interferência na realidade política do lugar. Óbvio que ninguém o leva a sério. Acreditam ser ele um comediante muito bem caracterizado e de um talento assombroso para imitar o próprio Adolf Hitler, ou seja, ele mesmo.
Hitler faz amigos e também consegue um emprego, que para seus fins é o ideal. Passa a ser assim, humorista crítico de um programa de auditório muito conhecido. Não é lógico? Hitler, na TV, falando para milhões e milhões de jovens sobre suas concepções deturpadas? Só pode ser piada mesmo. E é assim mesmo que o encaram, com muito bom humor, mesmo escutando coisas como:
 (...) não há surpresa de um turco ser um idiota (...)
Ou
(...) parasitas judeus (...).
E dessa vez ele estava mesmo aficionado pelos turcos, já que não havia tantos judeus como em 1930.
Esses turcos não estavam apenas no setor de limpeza, mas em todos os lugares, estranhamente onipresentes.
Fiquei muito intrigada com essa leitura. Muito polêmica e com um final um tanto quanto assustador, pois deixou uma reflexão perigosa no ar. A mídia é um instrumento muito cruel que bagunça a mente de pessoas que não estudam ou procuram saber da história, mesmo que só por curiosidade. Ovacionar, hoje em dia, um líder que procurou exterminar uma raça por puro capricho? Perigoso, viu?
Contudo, nesse meio-tempo, surgiu um movimento o qual quase tudo ultimamente pode ser considerado cultura ou ser elevado a tal categoria.
Hitler, personagem desse livro, soube utilizar as falhas de caráter e cultura de um povo em benefício próprio. Também fez constatações cruéis, porém verdadeiras, sobre nossa juventude.
Assim, posso afirmar que hoje os leitores também só consideram sofisticado o que é praticamente ininteligível para eles, e deduzem o essencial por meio de suposições a partir do tom reconhecidamente positivo.
Uma leitura gostosa e reflexiva, para quem curte história com pitadas de humor. Abram a mente e mergulhem nesse livro, vale a pena. Só cuidado para não se apaixonar pelo bandido ao invés do mocinho. Ah, e vem filme dele por aí... Fiquem ligados.

O Autor  
Nascido em 1967 em Nuremberg, de mãe alemã e pai húngaro, Timur foi antes do sucesso do livro Ele Está de Volta, uma sátira do século XXI de Hitler que vendeu milhões de cópia na Alemanha e apareceu nos melhores jornais do Reino Unido e dos Estados Unidos, um autor fantasma e também é jornalista. Após o colégio estudou história e política na universidade de Erlangen. Desde então trabalhou como jornalista para diversos jornais, entre eles os de Munique e o Kölner Express, além de várias revistas antes de estreiar em 2007 como escritor fantasma por trás de livros de ficção-histórica. Em dezembro de 2013 Vermes anunciou que seu bestseller seria transformado em filme em uma co-produção sw Constatin Film e a Mythos. O filme está programado para 2015 e o roteiro será feito pelo próprio Vermes.



3 comentários

  1. Oi..
    Nossa, adorei essa resenha e fiquei muito a fim de ler o livro. Em geral não gosto de histórias sobre Hitler, mas essa sátira parece valer a pena ler.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então Aline, é isso mesmo... nada de sofrimento e sim, boas risadas, isso tudo sem banalizar o assunto holocausto... vale a pensa sim.

      Excluir
  2. Adorei a resenha, quero muito ler esse livro ... Bjs

    http://livrandoporai.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Sua opinião é muito importante para nós! Deixe seu comentário e se houver necessidade responderemos pelo seu e-mail ou aqui mesmo. Obrigada pela visita.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...