[Resenha] De Coração para coração - Lurlene McDaniel




| Autor: Lurlene McDaniel | Selo: Novo Conceito | Páginas: 207 | ISBN: 9788581633138 | Skoob | Comprar



Elowyn e Kassey são grandes amigas, que dividem tudo. Mas uma coisa Elowyn não contou para Kassey: ao tirar a carteira de motorista, ela marcou a opção “doadora de órgãos”. Kassey descobre esse detalhe da vida da amiga da maneira mais trágica – quando o desejo de Elowyn está prestes a ser atendido.Arabeth nunca teve a sorte de ter uma melhor amiga. Com o coração doente, ela leva uma vida protegida de tudo e de todos. Até que, aos 16 anos, recebe o telefonema que tanto esperava — mas inicialmente ela e sua mãe não sabem a quem devem agradecer.Quando os mundos dessas três meninas e de suas famílias se cruzam, suas vidas se transformam de maneira nunca imaginada. Kassey, especialmente, encara os fatos como uma forma de manter viva a memória de sua querida amiga. Ela passa a compartilhar da nova vida de Arabeth, ao mesmo tempo em que ajuda a aliviar o sofrimento da família de Elowyn e a compreender a sua própria dor.

Quando a Nita me deu este livro pra que resenhasse aqui, eu não sabia o que esperar até ele chegar à minha casa e eu lê-lo no dia seguinte. No começo acreditei que não gostaria da leitura, mas as páginas foram passando e eu simplesmente me encantei com o livro.

O livro narra a história de duas amigas, Elowyn e Kassey, e elas eram tão diferentes ,mas ainda assim amigas desde a infância até que Elowyn faz dezesseis anos, e ganha um carro e a partir dai os problemas começam.


“Seu nome era Elowyn Eden. Ela era minha melhor amiga. Ela morreu quando tinha dezesseis anos.”

Elowyn tem um namorado, Will, e eles vivem um relacionamento de cão e gato, brigando com uma constância enorme, e numa dessas brigas, Elowyn pega o carro e sofre um acidente fatal aos dezesseis anos de idade, levando junto a ela a alegria de toda sua família. Mas até aquele momento eles não sabiam que Elowyn era doadora de órgãos e que daria um coração novo, a doce e doente Arabeth.

O plano de fundo deste livro é a doação de órgãos e o que a autora nos apresenta como “ memória celular”. Admito que sobre a doação de órgãos , um assunto que me interessa demais, pois é algo que sou tão a favor, algo que é tão “nobre” como é citado no livro que mais pessoas deveriam ser a favor. Já a memória celular, eu desconhecia, e segundo o livro seria o fato de que algumas pessoas ao receberem órgãos de outras, adquiriram hábitos das pessoas que doaram os órgãos. Talvez esse deveria ser mais explorado.


“Sou esperta o suficiente para entender que a vida é definida por momentos decisivos que, em sua maioria, não são planejados ou esperados.”

No livro, a Arabeth adquire vários hábitos da Elowyn e isso se torna até mesmo algo estranho. Talvez seja verdade, mas no fim do livro, a explicativa que deram e outros diálogos me fizeram desgostar dessa parte. Acho que porque tive a ilusão de que a autora quis dar um “quê” sobrenatural nas últimas páginas.

Elowyn é uma personagem muito diferente do que eu esperava, ela era mais como eu, mas ainda assim não me vejo amiga dela. Elowyn é espontânea , alegre, pra cima, com uma família que a ama, um namorado dos sonhos. Pouco explorada no livro, ela aparece pouco e depois a conhecemos apenas através de outros, porém ela sempre é mostrada como uma pessoa muito amada.

Kassey é mais o tipo que eu faria amizade, ela é desconfiada, é durona, mas tem um coração gigante.  É muito bacana vermos através dos olhos da Kassey seu amor por sua amiga. Ela foi de longe minha personagem favorita neste livro.

Arabeth foi incrível, ela é tão tímida, de bom coração, de uma inocência tangente. É aquela que queremos proteger, embora ela talvez não precise ser protegida. E com o tempo, os hábitos e as aproximações em função da Elowyn começam a culpa-la e a corroer seu íntimo.


“Será que algum dia eu ficaria livre de Elowyn Eden?”

No livro outros personagens foram fundamentais, como a família da Elowyn, seu pai e sua mãe, e a família dos outros. E claro que Will também.

O livro, apesar de ser uma leitura bem tranquila pelas poucas páginas e narração, traz lições belas de amizade, amor, relação e tudo mais. Conseguiu me emocionar, embora não tenha derramado lágrimas. Minha única ressalva foi o “quê” sobrenatural que a autora quis dar no fim do livro, que não funcionou.

Lurlene McDaniel tem uma narrativa muito gostosa, que faz com que você leia e leia e leia sem parar, além daquele delicioso tom melancólico. E a forma que ela dividiu o livro em três partes, com grandes acontecimentos no final deles e com uma narração centrada ora pelo ponto de vista de Kassey, ora Arabeth; foi incrível para termos uma visão geral.

A Editora Novo Conceito foi muito feliz com sua capa simples, mas bonita, com relevo nas digitais formando um coração, no título que se manteve original praticamente e com todo cuidado por dentro, nas páginas que possuem aquela folha amarelada e nos detalhes no início de capítulo.

Recomendo este livro a todos que gostam de leituras leves e emocionantes, e para aqueles que se interessam nos assuntos de doação de órgãos e memória celular.

O livro me conquistou com sua leveza, mas com sua grande mensagem.


 “Eu sei que ela era uma pessoa maravilhosa.Sei que vocês dois a amavam. E sei que vocês estão aqui porque eu lembro Elowyn. Eu entendo. Mas apenas se lembrem... sou Arabeth Thompson. É quem eu sempre serei. É quem eu quero ser para sempre.” 



Um comentário

Sua opinião é muito importante para nós! Deixe seu comentário e se houver necessidade responderemos pelo seu e-mail ou aqui mesmo. Obrigada pela visita.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...