[RESENHA] Todo Garoto Tem - Meg Cabot


Essa era uma viagem que tinha tudo para dar certo: Holly e Mark decidem fugir para se casar numa villa do interior da Itália, tentando evitar o stress causado pela diferença de religião entre suas famílias. Para acompanhá-los como madrinha, dama de honra e melhor amiga da noiva, a cartunista Jane Harris, uma mulher divertida e engraçada que mal pode esperar pela sua primeira viagem ao exterior. Mas é claro que Mark também convidou o seu melhor amigo, o jornalista internacional Cal Langdon, que passou os últimos anos em campos de guerra, plataformas de petróleo e outros lugares inóspitos.

Os livros adultos da Meg Cabot me atraem principalmente pela narrativa e a dinamização que a autora cria em seu texto. Todo Garoto Tem pertence à Coleção Garotos, que também conta com os livros O Garoto da Casa ao Lado e Garoto Encontra Garota, mas eles não seguem uma ordem de leitura. 

A narrativa é contada através de e-mails, um diário de viagem, as anotações de um Palmtop, cardápios e notas de compras. A história é sobre Holly Caputo e Mark Levine, namorados que estão fugindo dos Estados Unidos para se casar na Itália, pois possuem famílias extremamente ligadas a religião (uma é católica e a outra judia). As famílias não contra o relacionamento do casal e como eles não aceitariam um casamento tradicional, Holly e Mark decidem fazer essa loucura. 

É meio difícil acreditar que um casal adulto fugiria para casar... mas é uma história bonitinha. Para tanto eles convidam apenas os padrinhos: Jane Harris e Cal Langdon e os quatro ficam hospedados em uma cidade chamada Le Marche. O local é lindo e tudo inspira a lua de mel e romance.

No entanto, são os padrinhos os verdadeiros protagonistas desse livro. Jane é uma cartunista talentosa e Cal um jornalista famoso e metido a galã. No início eles já se odeiam e criam uma antipatia entre si, que só aumenta no desenrolar da narrativa. 

Ele não acredita em casamentos e os dois travam deliciosas discussões via e-mail sobre o assunto. Você vai rolar de rir com as picuinhas entre eles. Livros escritos assim são ótimos para conhecer melhor os personagens.

O cartoon da Jane, chamado Wondercat, é bastante abordado no livro e ela acaba encontrando um fã fervoroso na casa em que está hospedada. O menino a idolatra e detalha todos os acontecimentos da casa para fãs pela internet. 

Eu adorei a Jane, pois gosto de protagonistas como ela:  mulheres interessantes, fortes e inteligentes. Ou seja, fogem daquele retrospecto de mocinhas bobocas que não me agrada. O Cal é um cara que a princípio você pode odiar, mas depois ele acaba conquistando seu coraçãozinho!

A escrita da Meg faz com que a leitura passe rapidinho e sem grandes problemas. É um livro acima de tudo divertido e indicado para quem gosta de chick-lits, livros jovens e bons romances. Leiam também os outros livros dessa série que também são engraçados e com boas histórias.


Livro: Todo Garoto Tem
Autor: Meg Cabot
Editora: Galera Record
Páginas: 380


5 comentários

  1. Oi Aline,


    Sou louca para ler algo da fofíssima Meg Cabot! Tenho o primeiro Diário da Princesa, mas ainda não o li.
    Este parece ser bem fofo, leve e divertido! Gostei, fiquei ainda mais animada em ler os livros dela.
    Ótima resenha!


    Beijocas.
    http://artesaliteraria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi, Aline :3

    Bem, esse é um livro que nunca li, mas que sempre tive vontade ahaha. Na realidade, li pouquíssimos da Meg e sempre SEMPRE tive essa curiosidade mórbida sobre como seria ela escrevendo algo mais chick-lit. Essa parece ser uma escolha linda.

    O que me deixa chateada com os livros da Meg é que a Record cobra muito caro ): os preços salgados me impedem de comprá-los. Mas um dia consigo dinheiro o suficiente para satisfazer todas as minhas necessidades literárias (quem sabe eu não viro uma escritora de sucesso? Não? Ok.)

    A resenha tá linda como sempre <3 eu sempre achei interessante livros que abordam de narrativas diferentes para contar as histórias. Um dos meus favoritos de sempre, As vantagens de ser invisível, é contado em cartas e eu acho que isso foi o que mais me pegou, sabe? Existem formatos que cabem perfeitamente em certas histórias. Amo demais.

    Enfim! Se eu já tava louca para ler o livro, agora tô ainda mais hahaha tá ótimo, parabéns!

    Beijo.


    http://contextuando.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Sarah divando nos comentários aqui e no Livros y Viagens.
    Vou pegar emprestado As Vantagens de Ser Invisível e não sabia que a narrativa era apresentada com cartas. Fiquei curiosa!
    Leia Meg Cabot... são ótimos livros e valem a leitura.

    Beijos!
    :)

    ResponderExcluir
  4. Oie Rafaela, leia a Meg mesmo!
    Esses livros que citei na resenha são os adultos, mas ela tem vários. A mulher gosta de escrever.
    Beijos!
    :)

    ResponderExcluir
  5. Oiee,

    Meg Cabot sempre é bom neh? Eu li o outro livro dessa série, Garoto encontra Garota, e realmente amei, agora preciso ler esse tbm ..

    Bjss

    Se quiser dar uma passada... é sobre os livros da Meg

    http://www.partesdeumdiario.com/2013/07/trilha-sonora.html

    ResponderExcluir

Sua opinião é muito importante para nós! Deixe seu comentário e se houver necessidade responderemos pelo seu e-mail ou aqui mesmo. Obrigada pela visita.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...